Arquivo

Archive for fevereiro \21\UTC 2011

Você Sabia?

DADOS BÍBLICOS

– Levou mais de 1600 anos para ser escrita totalmente a Bíblia;

– Ela não foi escrita por apenas um servo de Deus, mas foram necessários cerca de 40 autores. Eles tinham as mais variadas profissões. Alguns eram humildes agricultores, pescadores até renomados reis;

– Pesquisas apontam que provavelmente o mais antigo livro da  Bíblia não é o Gênesis, mas o livro de Jó. Se é o mais antigo, pode ser que  tenha sido escrito por Moisés, quando esteve no deserto, portanto décadas antes do Pentateuco;

– O Codex Vaticanus, escrito em letras gregas maiúsculas, é provavelmente o mais antigo exemplar da Bíblia em forma completa;

– A Bíblia foi traduzida pela primeira vez para o inglês por um grupo liderado por John Wycliffe, em 1380;

– Martinho Lutero foi o primeiro tradutor da Bíblia para a língua do povo alemão;

 – A Alemanha possui, na biblioteca da Universidade de Gottingen, um exemplar da Bíblia que foi escrita em 470 folhas de palmeira;

– O primeiro Salmo encontra-se em II Samuel 1:19-27, um lamento de Davi em memória de Saul e seu filho Jônatas;

– O Antigo Testamento, por conter professias do final dos tempos,  termina com uma maldição, e o Novo Testamento, contendo as boas-novas, termina com uma benção;

– A terceira epístola São João foi o último livro da Bíblia a ser escrito;

– A Bíblia está repleta de encorajamentos para todos os cristãos. São ao todo 3573 promessas; 

– Os evangelistas Marcos e Lucas não foram discípulos de Jesus, diferentemente de Mateus e João que conviveram com o Senhor;

– O Salmo 136 tem no final de todos seus versos o seguinte estribilho: “Porque a Sua misericórdia dura para sempre.”;

– O profeta João Batista sucedeu Malaquias;

– O apóstolo Judas não era da Galileia, diferentemente dos demais;

– João, que é chamado de o discípulo do coração, era o mais jovem dos doze;

– Quem foram os únicos homens que jejuaram 40 dias e 40 noites? Jesus, vide Mateus 4; Elias, veja em I Reis 19:8; e Moisés em Deuteronômio 9:9;

– Há uma curiosidade nos versículos 8, 15, 21 e 31 do Salmo 107. Todos eles são iguais;

– Foi observada uma grande curiosidade no Salmo 119, que é o mais longo da Bíblia. Ele é um acróstico (Os acrósticos são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou verso formam uma palavra ou frase). Os 176 versículos se acham divididos em 22 seções de oito versos cada uma, correspondendo a cada uma das letras do alfabeto hebraico;

– O servo de Deus chamado Matusalém é o homem mais velho da Bíblia;

– Enoque não morreu, mas ascendeu ao céu.

Anúncios

AS COISAS DO ALTO

CHAMADOS DO MUNDO PARA DEUS

Quando o povo de Deus estava preso no Egito, que representa o mundo, parecia que estava esquecido naquela escravidão por 400 anos, sob o julgo de Faraó, que é a figura do opressor de nossas vidas. Mas como tudo tem um propósito nos desígnios divinos, pois 40 tipifica sempre uma provação, como a de Jesus no deserto, quando foi posto para ser tentado pelo diabo, depois de muito cansaço e fome. E 40 x 10 foi a pena máxima aplicada aos israelitas nas terras egípcias, elevada a décima casa, redundando em um longo período de submissão. Ali eles não tinham o templo, o local adquado de adoração, então eles criaram as sinagogas, que eram locais improvisados para a prática religiosa. Muitos da casa de Israel já estavam contentes ali, pois tinham bens, comiam, bebiam  e se divertiam no Egito, mesmo tendo que trabalhar no pesado diariamente, na condição de escravos. Mas era chegada a hora de Deus levantar daquele meio alguém por ele escolhido, para retirar seu povo daquele pesado jugo e levá-los para Canaã, a terra que manava leite e mel.

Quando Deus resolve nos chamar do mundo egípcio para o seu coração, muitas vezes ficamos indecisos, pois muitas coisas nos prende e ficamos com nossa mente permeada de dúvidas, visto que as coisas terrenais são muito atrativas. Deixar tudo para trás requer desprendimento e uma libertação total de nossas posses e nossos acúmulos de riquezas. Nessa hora devemos enxergar quão escravizados somos pelas bebidas, pelas comidas, jogos, diversões e muitos outros vícios, para só assim percebermos nossa real condição.

Então você se decide porque sua fé é maior que tudo aquilo, mas não pense você que o “chefão” de todas as orgias, de todas as farras, de todas as baladas, deixará você ir tranquilamente, desprendendo você de suas garras. Ele fará de tudo para predê-lo para sempre nas suas cadeias e masmorras escuras, disfarçadas de beleza. Quando ele percebe que você está decidido a se libertar, começa uma grande luta no seu interior, promovida por ele. Mesmo que você largue tudo para trás, ele perseguirá você pelo caminho até o mar vermelho finalmente se fechar para ele, aprisionando-o nas águas da morte.

Depois do Mar Vermelho, vem o deserto do Sinai, que representa nossa mente. Mais uma vez o número 40 entra em cena. Quarenta longos anos para purificar o povo das coisas impregnadas do mundo, sendo treinados pelo próprio Deus a fazer o povo confiar n’Ele: durante o dia, a rocha fendida dava sua água da vida; durante a noite, uma luz a conduzi-los; além de codornizes e maná que descia do céu para alimentá-los. Ainda assim, muitos se lamentavam relembrando das coisas do Egito e erguendo ídolos, denotando que alguns tinham outras práticas inaceitáveis. Deus então toma duas providências: envia para seu povo os dez mandamentos e manda construir o tabernáculo, que continha a arca da aliança, que ficava no “santo dos santos”, local no qual Deus falava com o sumo sacerdote.

Naqueles 40 anos, Deus trabalhou seu povo para adentrar na terra santa, mas não permitiu que muitos deles sobrevivessem ao deserto, por terem sido reprovados naquele longo caminho de purificação, com foco nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra. Deus deixou no deserto as velharias com suas maledicências e lamentações, preferindo sua nova geração, representada por Caleb e Josué.

Estamos hoje no mundo, mas não pertencemos a ele. Todo dia e toda hora somos exigidos a fazer escolhas. Devemos estar com nossos corações sempre voltados a Deus para sermos iluminados pelo bom caminho. Ele está sempre a nos conduzir, saciando nossa sede e alimentando-nos com sua palavra. Já não somos escravos, fomos libertados pelo sangue de Cristo, que nos mostrou seus desejos e nos ensina a maneira correta de nossa adoração.

 Autor José Maria Cavalcanti